Carmem Mayrink Veiga o Brasil perde sua diva social e rainha do Glamour

On 4 de dezembro de 2017 by Ze Ronaldo

A alta sociedade esta de luto perdeu ontem (03/12) um dos seus maiores ícones a socialite Carmem Mayrink Veiga, a diva social estava mal de saude há meses e a insuficiência cardíaca foi a causa mortis. Ao seu lado estava sua família, os filhos Antenor e Antônia e os netos Guilherme, Lorenzo, Maria Freing e Tereza Beatriz e Antonio Pedro Mayrink Veiga.

Carmem Therezinha Solbiati Mayrink Veiga, nascida  era natural de Pirajuí, interior de São Paulo, em 24 de abril de 1929. Foi para São Paulo e logo foi descoberta pelos mundo da moda paulistano e foi manequim. Acabou vindo para o Rio de Janeiro, a capital do Brasil no inicio dos anos 50 e  apaixonou-se pela cidade e aqui casou com o empresário Antonio (Tony) Mayrink Veiga e permaneceu casada até a sua morte.

Muito bonita e dona de um “allure” fora do comum e muita atenciosa com os colunistas da época como Ibrahim Sued e Maneco Müller foi conduzida pela imprensa ao posto da mais bem vestidas do ano e seu estilo foi se moldando. Frequentou o jet set internacional nos anos 60 e 70 quando morou em Paris e nessa época foi fotografada pelos mais importantes fotógrafos como Richard AvedonFrancesco Scavullo, Slim Aarows. Chegou a ser capa ada revista americana Town&Country e suas fotos circulavam pelo carnet de Vogue, nas melhores festas do mundo. No Brasil, não foi diferente Carmem Mayrink Veiga foi fotografada pelos ,mais importantes fotógrafos do país e colecionou capas de revistas.

Mas, o que interessava Carmem Mayrink Veiga era a moda e ela colecionou vestidos de alta costura dos maiores estilistas do mundo. Em 2003, a Casa de Cultura Julieta de Serpa, no Rio de Janeiro, organizou uma exposição com 67 de seus mais de 400 vestidos de alta costura, uma coleção considerada rara pelos especialistas em arte e alta moda. A iniciativa ajudou estudantes, consumidores e amantes da moda a verem de perto uma moda tão exclusiva. o s vestidos foram todos doados para o Instituto Zuzu Angel, presidido pela jornalista Hildegard Angel, grande amiga de Carmem Mayrink Veiga. Seu estilista nacional e amigo pessoal foi Guilherme Guimarães.

Em 1981,  já de volta ao Brasil, Carmem Mayrink Veiga entrou para o Hall of Fame da lista das Mulheres Mais Bem Vestidas do Mundo, na época presidida pela americana Eleonor Lambert.  A socialite Carmen Mayrink Veiga escreveu o livro ABC de Carmen, publicado pela Editora Globo em 1997, sobre etiqueta e seu estilo pessoal. Outra paixão de Carmem Mayrink Veiga era os gatos e chegou a fazer campanha para que o nosso famoso gato vira lata foi denominado e criado a raça pelo curto brasileiro.

Já com sua saúde debilitada por uma doença que a impedia de caminhar fez campanha em favor dos cadeirantes  e fez sua voz ouvir até no Hotel Belmond Copacabana Palace.  A socialite fez estória na sociedade brasileira pela sua presença que engradecia qualquer acontecimento social.

O Brasil fica sem uma grande autoridade da vida social e da moda brasileira.

Carmen 1 carmen2 Carmen3 Carmen4

 

Carmen Mayrink Veiga

Carmen Mayrink Veiga – 1965

Carmen e Tony Mayrink Veiga

Carmen Mayrink Veiga

Carmen Mayrink Veiga e seu filho Antenor

 

Comentários