Brígida Baltar abre a exposição”A Carne do Mar” na galeria Nara Roesler em São Paulo no dia 24 de fevereiro

//Brígida Baltar abre a exposição”A Carne do Mar” na galeria Nara Roesler em São Paulo no dia 24 de fevereiro

A Carne do Mar, individual de Brígida Baltar inaugura o calendário 2018 da Galeria Nara Roesler, em São Paulo, simultaneamente a Morro Mundo, de Laura Vinci. A abertura é no dia 24 de fevereiro ás 11 horas e termina no dia 24 de março.

Segundo a artista carioca, está na sua memória da infância, quando, ao procurar conchas perfeitas nas areias de Copacabana e encontrar apenas fragmentos, o despertar desta série inédita que apresenta na sede paulistana da galeria. “Foi a partir dos fragmentos – cacos da decepção – que descobri as formas orgânicas e aprendi sobre a potência da incompletude”. Baltar acrescenta que ao desenvolver estas obras pensava no sentido da palavra quimera, em seus significados: devaneio, ficção, monstro mítico, peixe.

Em sua produção, a artista costuma investigar o universo feminino e íntimo, extraindo as camadas escondidas nas arquiteturas do mundo, frequentemente a partir de elementos orgânicos e naturais. Já utilizou materiais retirados da sua própria casa – tijolos, saibro, poeira e cascas de tinta -, investigou o sistema das abelhas e capturou a neblina e o orvalho. Agora, também no rastro onírico da memória, Baltar faz do oceano seu espaço íntimo. “Pensado no mar e na palavra quimera descobri que nas profundezas todos os seres são híbridos”, diz.

Em a Carne do Mar, com curadoria de Marcelo Campos, a artista traz 12 esculturas de cerâmica ou porcelana esmaltadas, realizadas em 2017.

 

Fotos Divulgação

Brígida Baltar-As conchas vagina -2017 – photo Claudia Tavares

Brígida Baltar – As lambidas do mar 2017 –
detalhes – photo Claudia Tavares

Brígida Baltar-As lambidas do mar – 2017 – photo Claudia Tavares

Brígida Baltar – Irmãs – 2017 -photo Claudia Tavares

Brígida Baltar – O Berro da Concha – 2017 – photo Claudia Tavares

Comentários