A abertura da exposição “Vestindo o Tempo – 70 Anos de Moda Italiana” no Instituto Tomie Ohtake

/, Notas/A abertura da exposição “Vestindo o Tempo – 70 Anos de Moda Italiana” no Instituto Tomie Ohtake

A abertura da exposição “Vestindo o Tempo – 70 Anos de Moda Italiana” no Instituto Tomie Ohtake


 Aconteceu na última  quarta – feira (12/11) a abertura da exposição “Vestindo o Tempo – 70 Anos de Moda Italianano Instituto Tomie Ohtake. Uma noite sensacional. Infelizmente, só recebemos as fotos hoje, e olha que o site sempre prestigiou a dupla italiana Enrico Quinto e Paolo Tinarelli, grandes colecionadores da altacostura italiana e que organizam essas expsoições ao redor do mundo e que possuem um lindo apartamento em Ipanam e incontáveis amigos na cidade maravilhosa. 

Eles são detentores de um arquivo com seis mil itens, entre vestimentas e acessórios, atualmente fonte de inspiração para numerosas casas de moda. “Nesse sentido, o arquivo está intimamente integrado a um sistema produtivo no qual o passado é vital”, afirma a dupla.

Com curadoria do historiador João Braga, a mostra, dividida em três núcleos, aborda estilistas, criações e eventos que colaboraram para a projeção da moda italiana desde os anos 1950 até os dias atuais. Segundo Braga, foi a influência francesa que deu início ao amadurecimento da produção na Itália entre 1950 e 1960.

O nascimento oficial da moda contemporânea italiana aconteceu em 1951, quando o marquês Giovanni Battista Giorgini promoveu um desfile em Florença, especialmente para compradores norte-americanos. Nesse momento, como apontam os colecionadores, se criou um sistema organizativo para divulgar pelo mundo inteiro, à imprensa e aos compradores, o produto Made in Italy.

A exposição, ao percorrer esses últimos 70 anos da moda italiana, evidencia seu caráter genuíno e a fidelidade na formatação da identidade fashion do país. “A moda italiana é potente pela permanência do gosto vinculado ao intenso uso e combinação de cores, à presença ampla da estamparia, à valorização da tradição do artesanato local e à busca por novos materiais e tecnologias têxteis”, conta Braga. 

O Rio de Janeiro já foi contemplado com uma exposição da coleção de Enrico Quinto e Paolo Tinarelli, há alguns anos na Cidade das Artes e na abertura de São Paulo a dupla recebeu um convite de Emilio Kalil, para apresentar a exposição na Fundação Iberê Camargo, em Porto Alegre. 

 

Fotos Leda Abuhab

Camila Rossi e Maria José Rossi

Andres Bukowinski e Vitoria Arruda

Alessandra Cheida e Juliana Maluf

Claus Reinhardt e Rita Fontoura

Costanza Pascolato e Ricardo Ohtake

Delia Mihu, Paolo Tinarelli e Ira von un zu Furstenberg

Enrico Quinto e Lupita Beer Boimond

Denise Pitta

Enrico Quinto, Tatiana Magalhaes e Paolo Tinarelli

Enrico Quinto, João Braga e Paolo Tinarelli

Doca Redorat

Emilio Kalil e Paolo Tinarelli

Claudio Oliveira

Emilio Kalil e Gloria Kalil

Akemi Oiticica Kusuno e Alexandre Stefani

Enrico Quinto

Hélio Goldstein e Danilo Haddad

Evento

Fábio Durjao e Caio da Rocha

Ugo Castelana e Joao Braga

Ira von un zu Furstenberg e Delia Mihu

Ugo Castelana, Denise Pitta, Joao Braga, Costanza Pascolato, Ricardo Ohtake e Tatiana Magalhaes

Felipe Arruda

Felipe Whitaker e Tatiana Monteiro de Barros

Gloria Kalil

Gloria Kalil, Enrico Quinto e Costanza Pascolato

Ira von un zu Furstenberg

Ugo Castelana, Paolo Tinarelli , Joao Braga e Enrico Quinto

Jorge Elias

Ugo Castelana, Paolo Tinarelli e Joao Braga

João Spinelli e Márcia Marani

Marilene Ramos, Ugo Castelana, Caio da Rocha, Joao Braga e Lucy Planet

Jorge Elias e Carolina Andraus

Leandro Grance e Ildeu Lazarinni

Paolo Tinarelli e Ugo Castelana

Mônica Kalman

Lupita Beer Boimond e Clemente Della Porta

Paolo Tinarelli

Joao Braga, Costanza Pascolato, Gloria Kalil e Enrico Quinto

 

 

Comentários