Antonio Negreiros vive Nijinsky no espetáculo “ROMOLA&NIJINSKY” em todo seu esplendor

//Antonio Negreiros vive Nijinsky no espetáculo “ROMOLA&NIJINSKY” em todo seu esplendor

Antonio Negreiros vive Nijinsky no espetáculo “ROMOLA&NIJINSKY” em todo seu esplendor


O ator e bailarino Antonio Negreiros é alto. Nasceu grande. Um destaque entre os rapazes da sua geração. Nascido e criado no Rio de Janeiro, esse carioca já cedo mostrou ser um rebelde. Ao invés das quadras e foi tentar as artes plásticas e quase que imediatamente a dança clássica e lá descobriu seu talento como bailarino. O ballet e o seu mundo de música e movimentos o deslumbraram. Afinal se a música é a ritmo de Deus a dança são seus movimentos. Seu porte atlético logo o destacou. Ninguém não o podia deixar de notar.  Mas, o ballet não é só isso. É muito mais, dedicação e devoção.

Um contratempo do destino o fez hesitar por um tempo, mas logo decidiu que tinha que dançar com os melhores. Foi para Europa. Primeiro o ballet de Maurice Bejart, o que já é uma grande conquista e depois o Ballet de Stuttgart, onde ele dançou coreografias de Tetley, Kylian, Forsythe, e Van Manen. O repertório dos clássicos do ballet, ele dançou e em 1981 voltou para o Theatro Municipal do Rio de Janeiro como solista.

 O tempo passou e a mosca do show business posou em Antônio e ele começou uma carreira de múltiplas atividades. O talento que já possuía com sua força física ganharam outras formas de expressão. Sua voz passou a ser treinada e o que poderia se tornar em um eterno “vaudeville”, adquiriu tons dramáticos.  

Hoje, ele vive Nijinsky no espetáculo “Romola&Nijinsky“, atualmente em cartaz no Castelinho do Flamengo.  A loucura da genialidade o tocou e Antônio Negreiros encarna o “deus da dança”. Suas angustias, seus caminhos e suas escolhas certas ou erradas como ser humano estão todas ali expostas em carne viva.  

Sua interpretação ganha contornos abstratos sincopados como um frenesi esquizofrênico de uma força que atinge o teto e volta para os corações e mentes dos espectadores. Apoiado por uma direção segura de Regina Miranda que também traduz em texto todo esse campo vasto de emoções, o ator surge envolvendo a plateia em sua performance arrebatadora.  Sua parceira Romola , interpretada por Marina Salomom é outra força do espetáculo e esse trio compõe hoje um dos melhores espetáculos da temporada na cidade maravilhosa.

O espetáculo fica em cartaz até o dia 1 de setembro e ainda há alguns lugares a compra é pelo site. 

https://www.eventbrite.com.br/e/romola-nijinsky-tickets

 

Fotos Arquivo Pessoal

Antonio Negreiros como Nijinsky

Antonio Negreiros

Antonio Negreiros

Antonio Negreiros no Quebra Nozes do Theatro Municipal

Antonio Negreiros com Marcia Haydee no Ballet de Stuttgart

Comentários