O primeiro olhar da Casa Cor SP 2019 alguns HighLights

//O primeiro olhar da Casa Cor SP 2019 alguns HighLights

O primeiro olhar da Casa Cor SP 2019 alguns HighLights


 No ultimo domingo (26/05) aconteceu a abertura da 33 ª Edição da CasaCor SP 2019, no Jockey Club São Paulo com o tema “ Planeta Casa” . Eu adoro ir á Casa Cor por diversas razões. A maior é a pluralidade de gostos e estilos que posso admirar dentro espaços delimitados e que onde a criação é “livre”, de acordo com interesses comerciais, mediáticos e mesmo com dificuldades que vão dos quase todos os planos uma coisa tem que estar sempre preservada a identidade do arquiteto ou decorador. Isso é o que eu gosto de sentir. Onde está o toque do artista. Na verdade, esse é meu interesse em tudo.

Bom, cheguei e de cara a organização na entrada é corretíssima. Bateu já um sino. Rapidamente, um entre atos. Eu fui e voltei nessa recepção nessa tarde/noite três vezes. Em todas às vezes tinham pessoas diferentes tribos admirando esse hall de entrada feito pela Piloni Arquitetura. Um das entradas mais convidativas que já vi tudo junto e misturado com muita bossa. Bateu o sino de novo.

Uma sucessão de climas. Califórnia, Bahia com aquele bom gosto de Nildo José que logo arrebata com cores suaves e mistura de texturas e objetos e logo depois um pouco de drama com Léo Schehtman e o passeio chega uma porta de repleta de esculturas de devotos e um espaço experiência da LG bem dramático de Gustavo Neves e caminhamos por entre labirintos de detalhes de sutilezas que no meio de tantas pessoas são glimpses de digitais artísticas. Cactus e flores de pedras apresentam paisagismos de suculentas. Pouco árido para o meu olhar de mata atlântica.

0 bistrô de Rodrigo Ramos e Marcia Buschinelli surpreende. Preto e branco poderia ser monótono, mas não é. Tem leveza e é engenhoso, me deu vontade de curtir uma experiência de jantar lá. Outro caminho atravessando mais um labirinto que poderia ser o mar Egeu, sabe aquela musicas dos Tribalistas, pois é algo assim.  Duda Porto, o arquiteto estrelado carioca fez um espaço que tem aquele material que ele ama, a madeira como seu carro chefe. Vale conferir detalhes especialmente os lindos armários Ornare.

Outra marcenaria de destaque é a Galeria de Óculos de Daniela Colnaghi com os óculos Gustavo, o sucesso do designer Gustavo Gonçalves que pela segunda vez está na Casa Cor SP repetindo o sucesso de vendas do ano passado. Ah, o Deca Lab do arquiteto Ricardo Bello Dias, algo meio Bienal de Veneza, meio Campo de Marte. Um gesto artístico de grande proporção que nessa noite teve a brilhante interferência do grupo de dança liderado pelo coreógrafo Ismael Ivo que chegou levar muita emoção aos espectadores.  

No segundo andar Naomi Abe é o destaque sem sombra de dúvidas. Sofisticada e elegante, com peças de puro requinte com um bronze de Flavio Cerqueira. Léo Romano também está no segundo andar e o Studio Rocca também os dois valem conferir.  A arquiteta Débora Aguiar é a dona do maior pedaço do bolo.  Um casão com patrocínio Todeschini e tudo que tem direito, inclusive  um jardim lindo da carioca Carmem Mouro e desenho em papel de Beatriz Milhazes que é de tirar o fôlego uma mesa de jantar linda.

 O restaurante Badebec tem um living muito agradável de Gustavo Paschoalim com uma cozinha Ornare também de cair o queixo e ficou claro, que a curadoria deste ano buscou privilegiar novos nomes que precisam tem suas oportunidades talvez fossem mais aproveitadas. Talvez nem tanto. O importante é que o brilho continua e Casa Cor SP still shines.  

O ambiente de Nildo José

Nildo José e José Ronaldo Müller

A porta de devotos de Gustavo Neves

Os vasos Organe

O espaço Bistrô de de Rodrigo Ramos e Marcia Buschinelli

Rodrigo Ramos e Marcia Buschinelli

Zé Ronaldo Müller e Duda Porto

Flavio Cerqueira e Naomi Abe

Daniela Colnaghi e Gustavo Gonçalves

A marcenaria de Daniela Colnaghi

A arquiteta Débora Aguiar

 

Comentários