Padre Frederico Guerra da Paróquia Nossa Senhora da Paz promove discórdia na missa de 7° dia de Cacau Costa Santos °

//Padre Frederico Guerra da Paróquia Nossa Senhora da Paz promove discórdia na missa de 7° dia de Cacau Costa Santos °

Padre Frederico Guerra da Paróquia Nossa Senhora da Paz promove discórdia na missa de 7° dia de Cacau Costa Santos  °


Um verdadeiro clima de indignação tomou conta da Igreja Nossa Senhora da Paz, em Ipanema, ontem (26/12) na missa de sétimo dia da querida Cacau Costa Santos, filha arquiteta Janete Costa e irmã do arquiteto Mario Santos que lutava contra um cancer há oito anos e faleceu na semana passada.

 A missa repleta de amigos todos muito queridos e sensiblizados com a perda quando o Padre Frederico Guerra, impôs severas restrições para a comunhão e não deixou os amigos falarem de Cacau, porque o texto apresentado lhe pareceu impróprio e não deixou que cantasse a musica State, de João Gilberto, porque também não estava de acordo com os padrões da igreja. Sendo que a músico foi um pedido da própria Cacau. 

Aqui um relato dos amigos que foram até a sacristia quase implorando e pedindo explicações ao padre sobre aquelas medidas.

“Fomos a sacristia. Eu, Paula Neder e Rosina Tepedino, tentar entender o que houve: ele afirmou, depois de uma recepção hostil que a senhora “informou que leria um texto e não pediu” ficou claro para mim o problema com autoridade. Foi nítida tbm a inveja que tem do padre Jorjão que “deixa todo mundo falar,ler”. Vetou a leitura do Cadu e proibiu a Bruna de cantar State, a pedido da Cacau, por ser uma música que não se adequava. ???

Enfim, uma pessoa ruim, que não acolhe amigos e parentes numa missa de sétimo dia. Chegou a nos dizer que a igreja dele não precisa de fiéis como nós. Facista!!! Recalcado”.
 
Vários amigos foram para a Praça Nosssa Senhora da Paz e improvisaram um ritual onde leram o texto emocionado do amigo Cadu e ouviram a música que Cacau queria . Segue o texto que iria ser lido na igreja na integra. 
 
“Meu Deus, dai-me força para aceitar o que eu não posso mudar, vontade de mudar o que eu posso mudar e sabedoria para distinguir entre os dois”. (Marco Aurélio)
 “As forças do cosmos não são justas nem injustas: elas simplesmente são”. “O destino não é justo nem injusto porque ele é mais do que humano”. (Charles Pépin) 
Ele é MISTÉRIO. 
“A vida é somente a vida, e já é bastante: ela não precisa ser justa para ser digna de ser vivida”. (Charles Pépin)
“O que depende de ti é aceitar – ou não – o que não depende de ti”. (Epicuro)
Porque “é inútil protestar contra o real”. (Charles Pépin)
 
Na dificuldade de encontrar palavras próprias, eu precisei recorrer a diferentes autores, como Marco Aurélio, Epiteto, Nietzsche, Charles Pepin, Fernando Pessoa, Sartre e Mark Twain para tentar expressar o VAZIO dos últimos dias e, ao mesmo tempo, a GRANDE BELEZA de conhecer a Cacau. 
 
Quantas pessoas poderão dizer, sem hesitação e sem hipocrisia, diante da última confissão: “mas, padre, eu nunca fiz mal a ninguém”. (Cacau)
 
Como lembrou a sobrinha Bruna: quem mais será capaz de saber, sobre nós, mais do que nós mesmos? 
 
Cacau tinha a sabedoria de apontar a melhor opção quando a vida nos apresentava alternativas.
 
“A morte é a curva da estrada. Morrer é só não ser visto”. (Fernando Pessoa)
 
Nós perdemos a companhia da Cacau, mas ganhamos a real medida do que ela representa e queria nos dizer o tempo todo: 
 
Quando ela falava: “chegue na hora marcada”, ela queria nos dizer: “respeite o tempo dos outros”. E, hoje, eu entendo que a mensagem mais profunda era: “não perca um só minuto nessa vida”.
 
Quando ela falava: “leve sempre um presente”, ela queria nos dizer: “mostre que você se importa”. E, hoje, eu entendo que a mensagem mais profunda, na verdade, era: “esteja sempre presente na vida de quem você ama”. 
 
Quando ela nos aconselhava: “seja justo”, a ideia talvez fosse: “evite cometer injustiças”. Afinal, ela não suportava injustiça. Mas a lição mais profunda certamente era: “tente compreender antes de julgar”. 
Cacau sempre foi uma referência ética e estética. “Uma pessoa é a soma de seus atos”. (Sartre)
Cacau é a soma de todas as pessoas que a amaram e a amarão para sempre. 
Afinal, o coração da Cacau tinha mais espaços que a Feira de Milão.
E “aqueles que são verdadeiramente generosos nos fazem compreender que nós também podemos nos tornar igualmente generosos”. (Mark Twain – adaptado)
 
Estamos tristes, sim, mas “não é bom deixar a noite julgar o dia”. (Nietzsche)
Em vez da dor, nos lembremos do exemplo, da força que ela fez para viver. 
Pois se a morte é triste, significa que aquela vida foi uma vida feliz. 
E é por tudo isso que, junto com Bruna Alimonda, eu quero desejar a todos vocês:  

Cacau Costa Santos

Os amigos de Cacau Costa Santos

Os amigos de Cacau Costa Santos

Comentários