Samico na Galeria Estação em São Paulo

//Samico na Galeria Estação em São Paulo

Samico na Galeria Estação em São Paulo


Em junho de 2012, a Galeria Estação realizou a última individual de Gilvan Samico (1928-2013) em São Paulo, com a presença do artista, que faleceria no ano seguinte. Em 2016, a sua obra marcou a 32ª edição da Bienal Internacional de São Paulo. Agora, nesta exposição com curadoria de Ivo Mesquita, a Galeria Estação presta uma nova homenagem ao grande mestre pernambucano, reunindo cerca de 34 obras que permeiam quase toda a sua produção: composições repletas de simbologia que têm na simetria e na verticalidade valores que organizam narrativas sobre a natureza, instâncias sagradas e a vida terrena. Integrante do Movimento Armorial, idealizado por Ariano Suassuna, Samico produzia em sua casa ateliê em Olinda, e foi um dos raros artistas que desenhava, gravava e imprimia manualmente seu trabalho.

O urubu de Pedro, 1963, Xilogravura, 49 x 60 cm

Alexandrino e o pássaro de fogo, 1962, Xilogravura, 50 x 62 cm

Ciclistas, 1959, Xilogravura, 25 x 48 cm

Homem e cavallo, 1958, Xilogravura, 36 x 48 cm

João, Maria e o pavão azul, 1960, Xilogravura, 33 x 36 cm

Juvenal e o dragão, 1962, Xilogravura, 53 x 60 cm

Menina dos corrupios 1958, Xilogravura, 30 x 29 cm

O galo de ouro, 1965, Xilogravura, 49 x 61 cm

O rapto do sol, 1984, Xilogravura 61 x 95 cm

Sem título, 1958, Xilogravura 25 x 35 cm

Sem título, 1958, Xilogravura, 25 x 25 cm

Três mulheres e a lua, 1959, Xilogravura, 37 x 47 cm

Leitura na praça, 1958, Xilogravura, 28 x 31 cm

Comentários