Sesc 24 de Maio abre exposição que reúne a partir da produção artística, imaginários e disputas em torno do Nordeste

//Sesc 24 de Maio abre exposição que reúne a partir da produção artística, imaginários e disputas em torno do Nordeste

Sesc 24 de Maio abre exposição que reúne a partir da produção artística, imaginários e disputas em torno do Nordeste


Com mais de 250 obras de 160 artistas, À Nordeste reúne um conjunto significativo de obras, peças e experiências de vocações e contextos artísticos diversos, entrecruzados à história e às distintas ideias sobre a região situada a nordeste do Brasil.

“A Nordeste de que?”, a indagação e provocação do artista cearense Yuri Firmeza foi o que motivou a exposição À Nordeste, que o Sesc 24 de Maio recebe entre 15 de maio e 25 de agosto. Com curadoria de Bitu Cassundé, Clarissa Diniz e Marcelo Campos, reúne um conjunto de 275 trabalhos, de diversas linguagens e suportes, do barro aos memes, criações singulares de 160 artistas — a maior parte deles nordestinos, mas não exclusivamente.

Artistas de contextos, linguagens e interesses diversos dialogam horizontalmente: em comum, uma produção pulsante, que problematiza os imaginários que se têm acerca do Nordeste e questiona os lugares tradicionais — físicos e metafóricos — de se estar no mundo. A crase em À Nordeste surge como elemento desafiador do estereótipo regionalista, pois evita o artigo definido — e, com ele, uma identidade unívoca — de “o Nordeste”.

Entre os artistas que integram o corpo da exposição, Abraham Palatinik, Almandrade, Antônio Bandeira, Ayrson Heráclito, Bárbara Wagner e Benjamin de Burca, Bispo do Rosário, Cristiano Lenhardt, Gilberto Freyre, Glauber Rocha, Jean-Pierre Chabloz, Jonathas de Andrade, Juliana Notari, Leonilson, Marepe, Mestre Vitalino, Romero Britto, o coletivo Saquinho de Lixo, Pêdra Costa, Tadeu dos Bonecos, Véio, Zahy Guajajara e muitos outros.

Para facilitar a navegação do público em meio à exposição, que pelo volume de artistas e obras assemelha-se a uma Bienal, os curadores dividiram os trabalhos em oito núcleos distintos, permeáveis, que se ramificam e contaminam uns aos outros.

Cristiano Lenhardt

Bárbara Wagner & Benjamin de Burca

Ayrson Heraclito

Gê Viana

Juliana Notari

Jonathas de Andrade

Bispo do Rosario

Marcio Vasconcelos

Comentários