O artista Daniel Lannes e o seu Manifesto Brochista 2020

//O artista Daniel Lannes e o seu Manifesto Brochista 2020

O artista Daniel Lannes e o seu Manifesto Brochista 2020


No meio da pandemia depois de ter feito os Quarenta Views com o artista plástico Daniel Lannes eu o capturei no inicio da sua mudança para São Paulo e sua ida para a Galeria Kogan Amaro.  Nossa entrevista foi gratificante e ao mesmo tempo naquela situação de que será que vem por aí.  Uma incógnita ou uma charada vendo as questões por um outro lado. Talvez do lado do covid-19. Nada ainda  certo, mas continuemos…

Daniel me deu um toque que sua exposição acontecerá na Kogan Amaro no dia 31 de outubro, em pleno Halloween paulistano.  Fiquei animado e mandei umas novas perguntas sobre a exposição e demorou as respostas, afinal o ritmo pré – exposição é sinistro. 

 Oi Daniel segue algumas perguntas.

Como esta a sua relação com a cidade São Paulo?
 
E a sua nova individual esta marcada a data?
 
Como esta sua rotina no atelier?
 
Você pode nos mostrar um preview de algum trabalho da nova exposição?
 
Seus trabalhos que estão cheios de sensualidade e erotismo você tem lido e pesquisado sobre esse tema?
 Veio a resposta. Um Teorema ou um Manifesto? 
 

O Dito pelo não Dito – Daniel Lannes 2020

 
Meu nome é Daniel Lannes. Tenho 39 anos e sou do signo de Aries. Escrevo aqui o manifesto do brocha. Manifesto Brochista.
 
Ao longo dos anos vários manifestos artísticos foram escritos. Dizem que na contemporaneidade não há mais a necessidade de se fazer manifestos. A originalidade não seria algo a ser perseguida e as velhas narrativas dicotomísticas de outrora hoje dão lugar à neutralidade desejada pelo bom mocismo travestido de relativizações.
 
Niteszche costumava escrever em aforismos. O único livro por mim lido dele chama – se Vontade de Potencia. Proponho aqui a vontade de impotência.
 
O Concretismo Suíço em seu manifesto alegou ser o ponto, a linha e o circulo, a forma mais “realista”de se expressar pictoricamente: afinal, nada mais concreto do que uma linha desenhada e nada mais abstrato que uma vaca pintada.
 
O brochismo compartilha ideais concretos. Nada mais presente que uma honesta brochada. Nada mais ilusório que uma ereção ilusória.
 
Na vida, podemos entender que TED é paixão e DOC é amor.
 
Quanto mais um homem gostar de pau mais mulheres ele irá atrair ou copular com.
 
Rogério Skylab diz: eu chupo meu pau. A revolução do heteropride se dará no dia que além de me chupar eu poder abraçar a  minha brochada. #eunaotenhoquebrocar
 
A brochada é um momento a sós. Abraça-te – homem hetero/gay/andrógino/zoófilo/punheteiro/escravo – a sua brochada. Enjoy the ride. Pra quem não tem nada a metade é o dobro. Se não chegou aonde se imaginava é porque ainda se está vivo Aprecie o devir. O eterno retorno.
 
Faz-se mistério não se preocupar com o parceiro ao lado. O sujeito brocha é um lonely wolf. Ele amo o seu falo. O seu lugar sem fala. Ele não é uma alavanca. Só quem possui um pau entende o drama, a tragédia, o peso e a euphoria da alavanca. Marques de Sade disse que um “homem”com uma ereção possui o direito de ser um déspota. Esclarecido. O direito divino de não ter potência. Quando um ser humano manda o outro bater, e apanha, quem manda em quem?
 
Querer é uma coisa; querer querer é outra coisa.
 
Abrace a sua brochada. Cuide dela. Ignore a expectativa do parceiro. Pra ser amado precisamos antes de tudo amarmos a si mesmo. Um homem sem chifre é um homem desarmado pra Guerra. Mulher que não trai não tem caráter. Quem não me respeita deve ter medo de mim. Quem tem um não tem nenhum. Um é muito, dez é pouco. Uns têm 10 e fazem 5. Outros têm 5 e fazem 10. Melhor um erro convicto a um acerto remendado.
 
A insatisfação é o antídoto contra a mediocridade. Nada mais horripilante que o meio termo,a harmonia, o equilíbrio e o caminho do meio. Brochar é a segurança do “there is room to improve”. Não há tortura mais sofisticada do que saber o dia de sua morte. Gozar é para os desesperados labradores. O atalho que foge do buraco que é lá embaixo. Quem tem cú tem medo. Mestre Cláudio uma vez disse: “cerre os olhos, observe a mancha o corpo é apreendido pelo olhar quando se enxerga o vazio em seu redor. Construir para destruir”.
 
Sou brocha, mas possuo nariz proeminente. Deus é justo pois todos nós temos nariz. A brochada é um estado de espírito. A brochada está aberta a todos aqueles não ofuscados pela ereção. Afasta-te, não me tapes o sol. Ao morrer, exijo ser carregado em praça pública com as mãos penduradas pra for a do caixão. Vim à terra sem anéis e vou embora sem anéis. Uma vez enforcado, goza-se. Nada mais trágico que o orgasmo. O coito de nossos progenitores não deve ser assistidos por nós. Feiras de arte não são adequadas aos artistas.
 
Me chamam de mãe, mas não lhe pago um sorvete. Mas dou de mamar aqueles que gostam de leite.
 
Não há carinho maior que um cacete de espuma. O microfone de carne desligado permite voz a todos emudecidos.
 
Brocho por amor. Brochar é curvar-se à beleza do outro. Brocho com reverencia e sofisticação. Brocho sem botar. Brocho com disposição.
 
Falhei, dei mole: tive uma ereção. No set de filmagem, aviso a atriz: se eu tiver uma ereção, me desculpe; se eu brochar, não se apaixone.
 
Gênero é quem está a sua frente e lhe dá tesão. Uma morte rápida é bem vinda. O que você é: hetero, bi, tri, pan, tetra, cis, trans ou operado(a)(x)? eu fodo com smurf.
 
O padre só não pode casar porque a igreja não admite herdeiros reivindicando suas terras. O coroinha é o coringa mais cobiçado. Aliás, Batman, se eu não existisse, você não teria emprego. Tamo junto.
 
A forma mais sofisticada de se controlar as minorias é dando-lhes razão sempre. Aqui na colônia de férias não importa qual time faz gol. Ninguém perde. Todos são campeões e voltam pra casa com o uniforme limpo e um imenso troféu.
 
Quero chuva de likes e chuva de pau. Quero pau, pau, pau, pau. O mundo é falocêntrico. É mesmo. Se estivermos numa roda de pessoas e colocarmos uma Atari entre elas, geral vai querer segurar no Joystick.
 
Em Pompéia os candelabros eram em forma de pau. A desculpa do aleijado é a bengala.
 
O homem ao entender e valorizar sua brochada, emancipa-se. Mesmo o mais poderosos dos homens heteros aguardam, no frigir dos ovos, a nota estabelecida pela mulher. Quem dá a nota da virilidade é a mulher. Quem inventou o termo ponto G foi um homem. A representação Segundo a parábola antiga, é a mulher ganhando uma pintura e dando boa sorte ao soldado. “Tchau querido”.
 Mulher é chata e homem é bobo. Não tirem de mim essa dor: brochar será minha ultima obra prima.
 
Deprezar cuidando e cuidar desprezando.
 
O bom escravo não quer nada em troca. Isso já é muito. Ao se apontar um dedo a alguém, apontamos três a nos mesmos.
Vou ficar em pé pra ver se cresço mais um pouco. Cabeça de ser humano é terra que ninguém anda. Ou é bicha ou é macho? Clo para os íntimos, vil para os inimigos e dou para que meu quiser.
 
A sua ideia nunca ficará igual a sua pintura. Quem fala de arte é banqueiro, artista fala é de dinheiro.
 
Você é comunista? Vai lá pra fila do leite.
 
Só brocho com quem merece. Ereção é coisa de homem burro. Cultura e inteligencia são coisas diferentes.ler todos os livros do mundo apenas torna alguém replete de informação. Inteligencia prescinde a alfabetização. Alias, como se escreve exceção?
 
Fora o capital. Nada mais fofo que um artista rebelde. Jarbas, você já limpou a rodinha dos hamsters? Amiga, fui sequestrada por um negão da Favela!!!! Ele é tudoooooo. ALOKA

Daniel Lannes

 

Comentários